terça-feira, 7 de março de 2017

Mulher

Poderia chamar-te de flor,
Fosse a flor inacabável
Poderia chamar-te de amor,
Fosse o amor inabalável

Posso, contudo, chamar-te de mãe,
Porque tens o dom de gerar!
E sendo mãe chamar-te de flor
Porque tens o dom de adornar!
E sendo flor chamar-te de amor
Porque tens o dom de encantar!

E em meio às tarefas e agendas
Desejos, filhos e contendas,
A roda viva desvenda-te
Uma lágrima no olhar!

Paras de súbito ante o espelho
Entre o batom e o salto alto
Faze-te confusa em sobressaltos
Em frente aos tantos papéis
Que a vida te obriga a viver.

E por seres forçada a escolher
Abdicas de outros quaisquer...
Ostentas por legítimo prazer
O teu pulcro papel de mulher!


Boa Vista, 05/03/2004 (uma homenagem a todas as mulheres pela passagem do dia internacional da mulher)

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Histórias

Você e seus mistérios
Mistérios que moldaram suas escolhas
Escolhas que mudaram nossa história...

Histórias!...
De quem não aprendeu com a história
De quem não escreveu a própia história
Nem mesmo uma página em branco
Num livro aberto e encoberto
Pelas vivas memórias
Da história!

São João del-Rei, 07/02/2015

 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Translações

Amores perfeitos


Flores nativas

Que viram sementes

O perfume se vai

As cores se esvaem


As sementes germinam

Brotando de lado

Amores imperfeitos

Que nunca terminam!


Amores perfeitos

Novas flores nativas

Outras sementes germinam...

São João Del-Rei, 20/01/2015

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Solidariedade

Eu quisera

Compartilhar meu mundo

Com todo o mundo.

O meu pequeno mundo

É vasto em contornos

E cabe dentro de si

Tantos outros mundos

Que sequer nunca os vi.


Existem, porém,

E não se estendem além

Das fronteiras laterais

Dos meus limites pessoais

Que orbitam tantos sóis

Muito aquém dos entornos

E dos contornos de mim!

Boa Vista, 22/12/2004

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Mutação

O que havia ontem
Não existe hoje
O que existe hoje
Não havia ontem

Se o tempo passou?
Nem o tempo dirá!

Mas o tempo dirá
Se fulgir na razão
Palavras confusas
Que dizem nada...
Que duzem tudo!

Boa Vista. 30/03/2014

 

sábado, 9 de agosto de 2014

O plantador


Há tempos em que semeio amores
Em meio aos canteiros de flores
Noutros somente as sementes
De flores em meio aos amores!

E no jardim dos meus sonhos
Colho adornados ramalhetes
De encantadoras mulheres

Tão fascinantes como os amores
Tanto eternas quanto as flores!


Lavras, 16/06/2004.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Acolá e mais além

Sonhos, 
Sonhos vivos,
Numa nuvem apressada
Esvaem-se.

E o sol sem nuvens
Acolá e mais além
Explode incontinente
As cancelas do meu peito.

Uberlândia, 20/10/1990