sábado, 7 de julho de 2018

Minha prece



Se eu fosse um peixinho e soubesse voar
Voava com as baleias para longe do mar

Se eu fosse passarinho e soubesse nadar
Nadava com a prole para o fundo do mar

Se eu fosse um menino e soubesse rezar
Rezava aos céus para a história voltar,

Aos tempos em que peixes podiam nadar
Livres nas águas profundas do mar.
Os pássaros nos ares podiam voar
E meninos sem medo sabiam rezar!

Boa Vista, 24/10/2003.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Missão


E o que posso fazer
Além de morrer?

Posso viver,
Cantar e esquecer
Que a morte na contramão
Tem seu próprio sentido.

Posso viver,
Calar e dizer
Que a vida na própria mão
Tem múltiplos sentidos!

Várzea da Palma, 06/05/2005.

sábado, 2 de junho de 2018

Entendimento

Dois mais dois
Igual a quatro.
Lógica sem nexo,
Nexo imbecil,
Menino cresceu e partiu!
O mundo gira, tem sentido!
O mundo gira e traz a noite
Num giro a noite traz o dia,
E o mundo gira... e gira...
E faz sentido?

A gente nasce, nasce o dia
A gente cresce é meio dia
A gente morre é fim do dia!  

A gente nasce, cresce e morre
A gente cresce e morre
A gente morre!
Do lado direito de quem vem
Do lado esquerdo de quem vai
O mundo gira consentido!
Dois mais dois igual a quatro
Qual é mesmo o sentido?!...

São João del-Rei, 02/06/2018

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Determinismo


Em tempos de sol e de ondas
Rios saltam em cataratas
Enquanto homens cochilam
E dormem de olhos abertos!

O pão de cada dia
É o trigo de todo dia
E em apitos de fábricas
Consomem-se as horas
Em ideias que vingam...

Em se vingando florescem
E frutificam opções:
Pode ser, pode não ser,
Eis a eterna discussão.
Mas o vendaval que se avizinha
Não soprará por acaso
A chama do mais querer.

E outra vez mais
Nos campos arados
O trigo germinará...
Enquanto na gaiola dourada
Liberto da sua sina
Gorjeia impotente um passarinho!

São João del-Rei, 10/05/1986.


segunda-feira, 28 de maio de 2018

Canto à solidão

Uma voz vem de dentro
Espio em volta,
Em volta do escuro,
Escuto,
Escuto vagamente,
Um silêncio assustador.

Uma voz vem do vento
E borboletas desatentas
Bailam leves no ar!
Escuto o vento
E ele não diz nada.
Canta, apenas!
Só canta
E só...


São João del-Rei, 09/06/87

domingo, 1 de abril de 2018

Vida e Luz


Que a Páscoa nos traga Luz
E a Luz ilumine nossas Vidas!
Precisamos de Vida e de Luz,
Mais de Luz do que de Vida,
De mais Vida sob a Luz!

Porque a Luz delineia horizontes
Que nos permitem traçar caminhos!
Caminhos de idas e voltas
Caminhos de idas sem voltas
Pelos curtos atalhos da Vida!

Caminhos de chegadas e partidas
Traçados sob fachos de Luz
Emanados da própria vida!

São João del-Rei, 01/04/2018

terça-feira, 27 de março de 2018

Mar vermelho


Páscoa...
Passagem!
A terra em trajetória orbital
Segue leve e nos conduz
Nessa viagem de luz
Pelo espaço sideral.

Onde estamos?
Aonde vamos?
Nem sabemos bem...
Nem sabemos nada.

Nem sabemos
Que o mar vermelho
É cada dia mais vermelho
Coalhado de sangue e de lutas
Sangue inocente (indecente!...)
Alta cotação da servidão!

Que o cajado da esperança,
Em breve há de rasgá-lo
Rumo à terra prometida

Livre terra das promissões,
Se aos nossos olhos ausentes,
Grafa-se em mapas vigentes
Dentro dos nossos corações

Corações de sonhos e aspirações,
De esperança na igualdade,
Edificada na liberdade!

Boa Vista, 17/04/2003.